Agropecuária será único grande setor a crescer em ano de maior queda do PIB de Alagoas desde 1988

Publicado em 04 de Setembro de 2020

Sim, o auxílio emergencial e demais repasses federais foram uma injeção na veia -- e no consumo -- de mais de um milhão de duzentos mil alagoanos beneficiados, amortecendo o impacto econômico decorrente da pandemia e até aumentando vendas em setores específicos como o do chamado varejo essencial e de material de construção. 

Ainda assim, entre os três grandes segmentos que formam o PIB (Indústria, Serviços e Agropecuária), apenas a agropecuária alagoana deve crescer neste ano em que Alagoas deve sofrer a maior retração do PIB desde 1988, com previsão de queda de mais de 7%.

Esses são apenas alguns dos dados levantados pelo economista Cícero Péricles no seu mais recente artigo “A economia alagoana na etapa de reabertura -- notas sobre a conjuntura nos meses de julho a agosto de 2020”. O material dá sequência ao maior esforço de análise local do impacto na pandemia no Estado iniciado com a publicação no AGENDA A em junho do artigo “Os impactos da epidemia na economia alagoana, uma tentativa de visão geral para o período de vigência do decreto de isolamento social de 20 de março (veja aqui)”.

Mais uma vez, o professor da Ufal e autor de livros como  “Economia Popular – Uma Via de Modernização para Alagoas” evita armadilhas fáceis de previsões apocalípticas ou cenários otimistas e premia o leitor com uma injeção de dados sólidos do impacto da pandemia em vários setores do Estado.

Leitura obrigatória para quem quer mais informação -- e menos opinião.

Clique na capa do artigo abaixo e confira:





  • Ideias
  • Agenda A ideias é um espaço plural discussão de temas comprometidos com a melhoria do ambiente de negócios e da qualidade de vida dos alagoanos.

  •  
  • Turismo
  • Vídeos

© AGENDA A 2013. All rights reserved