Alagoas, Quinta, 19 de Setembro de 2019
  • Enviar e-mail
  • Facebook

Cidade alagoana inova ao criar lei de estímulo ao ensino de Matemática; entenda aqui

Publicado em 15 de Abril de 2019

Até pouco tempo, os melhores alunos da rede municipal de Belém, cidade com população de cerca de 5 mil pessoas no agreste alagoano, precisavam se deslocar até escolas de cidades mais próximas, como Palmeira dos Índios, para poder participar de projetos como o da Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas, a OBMEP.

Até que o professor de Matemática da rede municipal José Silva de Amorim, eleito vereador e atual presidente da Câmara, decidiu apresentar em fevereiro deste ano um projeto de lei, escrito em parceria com professores do Instituto de Matemática da Ufal, para a criação de uma Olimpíada Municipal de Matemática.

A lei do vereador não foi apenas aprovada por unanimidade pelos colegas de Câmara e sancionada pela prefeita da cidade, Paula Santa Rosa, como os alunos da cidade estão recebendo, duas vezes por semana (segundas e sextas), aulas de treinamento da matéria no próprio prédio da Câmara Municipal da cidade.

“As aulas aqui na Câmara não apenas garantem condições melhores para os alunos estudarem no contraturno das aulas, como criam um envolvimento maior da Câmara e da população em prol da educação”, diz Amorim.

A ideia da criação da lei nasceu em setembro passado, durante o encontro de premiados da OBMEP em Alagoas, organizado pelo professor Krerley Oliveira, coordenador da olimpíada do IMPA no Estado e professor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Com a promulgação da lei, dois licenciandos em Matemática da instituição serão responsáveis pelas aulas na Câmara.

O vereador diz que a lei é mais um passo para a cidade consolidar sua recente evolução na área de educação, já que Belém foi um dos 11 municípios de Alagoas que atingiram as metas dos anos iniciais e finais do Ensino Fundamental no Ideb – saltando da 54ª posição para oitavo lugar no Estado no indicador.

“Esse resultado é fruto de uma quebra de paradigma na educação local que contou com apoio da Câmara Municipal, da Ufal, da prefeita de Belém e do Governo do Estado, por meio de programas de incentivo como o Escola Nota 10”. Por ter cumprido as metas no programa, Belém receberá em 2019 um valor extra de R$ 1,06 milhão do governo do Estado.

Para o professor da Ufal e coordenador da olimpíada no Estado, Krerley Oliveira, a lei aprovada em Belém foi um forma encontrada pela cidade para garantir a continuidade no apoio a esses programas. “É uma lei pioneira não apenas em Alagoas, como no país, que fará diferença na vida de muitos alunos da região”.



  • Ideias
  • Agenda A ideias é um espaço plural discussão de temas comprometidos com a melhoria do ambiente de negócios e da qualidade de vida dos alagoanos.

  •  
  • Turismo
  • Vídeos

© AGENDA A 2013. All rights reserved