ALGAS ARTE NO PRATO
Alagoas, Quinta, 19 de Outubro de 2017
  • Enviar e-mail
  • Facebook

A marca Bompreço vai realmente acabar? Veja entrevista com o vice-presidente do Walmart no Brasil

Publicado em 10 de Outubro de 2017

Na manhã desta terça-feira (10), o vice-presidente da Walmart no Brasil, Alexandre Esper, apresentou em Alagoas a transformação do Hiperbompreço da Gruta (Av. Fernandes Lima 3 700) em hipermercado da marca Walmart, cuja nova unidade consumiu a maior parte dos R$ 16 milhões de investimentos da rede no Estado – pequena parcela um total de R$ 1 bilhão que a rede gastará em todo Brasil nos próximos dois anos para reformar e unificar todos os hipermercados da rede.

Com a mudança, quais os planos da Walmart para a marca Bompreço, uma das mais tradicionais do Nordeste adquirida pelo grupo em 2004?

Em entrevista ao AGENDA A, o vice-presidente da rede no Brasil, que tem em Alagoas 22 unidades e emprega quase 2000 funcionários, fala sobre o que muda e o que não muda nos planos do Walmart para Alagoas, Nordeste e Brasil.

AGENDA A: Com a mudança do Hiperbompreço para Walmart, a marca Bompreço vai desaparecer?

Temos um enorme respeito pela marca Bompreço. Nos últimos 15 anos, aprendemos muito sobre o consumidor em todo o Nordeste graças à marca Bompreço. Mas a mudança da marca Hiper para Walmart, como a da unidade de Maceió, não é uma simples troca de marcas ou uma mera reforma do hipermercado. É uma mudança completa na experiência de consumo com transformações profundas nos diversos setores, da área de perecíveis, frutas, verduras, nova variedade de produtos na área de tecnologia, enfim, uma mudança de conceito e estrutura. E o melhor: todas essas mudanças têm como meta simplificar, criar sinergias e reduzir custos, permitindo que possamos manter nossa filosofia de vender a preços mais baixos ao consumidor.

Na prática, a marca Bompreço deixa de existir?

Até os próximos dois anos, vamos investir em todo o Brasil na transição de nossos hipermercados para a marca Walmart, não apenas da marca Bompreço, no Nordeste, como de outras marcas no sul país. À medida em que eles são transformados, passam a se chamar Walmart. Já os supermercados da rede no Nordeste continuam com o nome Bompreço.

As vendas das 22 unidades do Walmart em Alagoas representam quanto do total da rede no Nordeste?

Não abrimos números de participação por Estado, mas posso dizer que a rede teve em Alagoas um faturamento de R$ 806 milhões em vendas. Alagoas é uma praça muito importante para nós, assim como a região Nordeste.

Apesar de o grupo Walmart ser uma potência mundial, a rede no Brasil parece ter se acomodado a uma posição relativamente modesta do potencial com vendas muito abaixo ao de outras operações internacionais – como no México, da América Central na China. A empresa já lucra no Brasil e pretende mover-se agora para sair dessa posição?

Na verdade, a rede vem investindo muito no país nos últimos anos, mas como boa parte do desembarque da rede no Brasil se deu por aquisições, nem sempre esses investimentos são claramente percebidos. Até porque boa parte dele está em processos internos para garantir melhoria de processos e de estrutura da rede. Agora, com a reinvenção dos nossos hipermecados, por exemplo, esses investimentos serão mais perceptíveis para o consumidor. Convido todos para conhecer pessoalmente essas mudanças no Walmart Maceió. Quanto ao resultado financeiro do grupo, até por questões do formato do controle acionário do grupo, não podemos divulgar.

Enquanto há uma tendência no varejo da abertura de pequenas lojas de bairros ou grandes centros de venda, como o chamado atacarejo, o Walmart insiste em apostar no setor de hipermercados, considerados por muitos como ultrapassado. O que faz o grupo nadar contra a corrente do mercado?

De certa forma, o fundador da rede, Sam Walton, só construiu o que construiu por nadar contra a corrente. Acreditamos, sim, no setor de hipermercados que representa uma grande parcela do nosso portfólio. Mas, nossa rede atua em outras áreas. Aqui em Alagoas, mesmo, contamos com marcas em todos os segmentos, o Maxxi Atacado, o Sam’s Club, o Walmart (hipermercado), o supermercado Bompreço, o supermercado Todo Dia (supermercado de bairro).

Apesar do fechamento do Hiperbompreço da Buarque de Macedo em dezembro de 2015, nada foi construído no lugar e o velho prédio permanece desativado com a marca da rede. Qual o futuro do prédio e há alguma previsão de fechamento de outra unidade no Estado?

A rede tem uma área própria de desenvolvimento imobiliário que está estudando a questão. Essa decisão implica em estudos de mercado e até na possibilidade do imóvel vir a receber, dependendo de pesquisas, uma marca da rede em outro segmento. Quanto ao possível fechamento de outras unidades no Estado, não há planos para isso. Mas é claro que, não apenas em Alagoas como em todo o país, a rede sempre pode ter que encerrar as atividades de uma unidade deficitária, assim como planejar a abertura de outra em uma região onde haja maior demanda.  


Mais lidas

 

  • Ideias
  • Agenda A ideias é um espaço plural discussão de temas comprometidos com a melhoria do ambiente de negócios e da qualidade de vida dos alagoanos.

  •  
  • Turismo
  • Vídeos

© AGENDA A 2013. All rights reserved