Alagoas, Quinta, 28 de Maio de 2020
  • Enviar e-mail
  • Facebook

Cinema alagoano em estreia nacional: longa produzido no Estado será lançado em festival de Minas

Publicado em 09 de Janeiro de 2020

Um dia histórico para o cinema alagoano numa das mais tradicionais cidades históricas de Minas.

No próximo dia 1 de fevereiro, último dia da 23ª Mostra de Cinema de Tiradentes, uma das mais tradicionais do país (aberta dia 24 de janeiro), será a data da pré-estreia nacional do filme Cavalo, primeiro longa-metragem fomentado por um edital público em Alagoas (com recursos da Ancine em parceria com a Fundação Municipal de Cultura de Maceió).

Selecionado para ser exibido na Mostra Temática “A Imaginação como Potência” (às 15h, no Cine Teatro Sesi de Tiradentes), o filme faz com que Alagoas volte a ter um longa-metragem em circuito nacional, algo que não acontecia há quase 40 anos – na Cinemateca Brasileira, o último longa lançado nacionalmente foi a comédia erótica (ou pornochanchada) “Mulheres Liberadas”, de 1983, dirigido por Adnor Pitanga.  

Com direção de Werner Salles Bagetti (“Exu - Além do Bem e do Mal”) e Rafhael Barbosa (“O que Lembro,Tenho”), “Cavalo” utiliza uma linguagem híbrida entre a ficção e documentário para narrar o cotidiano de sete jovens dançarinos envolvidos num processo artístico de resgate de suas ancestralidades. “Nossas personagens são sete jovens artistas alagoanos, rappers, Bboys e Bgirls, dançarinas e dançarinos de diferentes gêneros e alguns deles são cavalos (como são chamados os médiuns na Umbanda e no Candomblé), condição que potencializa a capacidade de expressão corporal”, diz Werner Bagetti.

De acordo com Rafhael Barbosa, o filme é resultado de mais de cinco anos de pesquisa e desenvolvimento. “Desde Exu (2012), temos desenvolvido um projeto artístico que se relaciona com os arquétipos dos orixás e das entidades”, diz Barbosa. “Também estávamos estudando a história do Quilombo dos Palmares, uma das maiores narrativas de resistência do mundo, quando entendemos que seria instigante investigar os ecos desse passado no contemporâneo”.

Distribuído pela La Ursa cinematográfica, primeira produtora alagoana a também atuar no mercado de distribuição, o filme tem como protagonistas Alexandrea Constantino, Evez Roc, Joelma Ferreira, Leide Serafim Olodum, Leonardo Doullennerr, Roberto Maxwell e Sara de Oliveira. O grupo foi selecionado após um teste de elenco e passou a conviver num intenso processo de preparação.

O filme também marca um dos últimos trabalhos da relações públicas alagoana Valeska Rodrigues Leão que trabalhou como produtora executiva do longa pouco antes de falecer, em fevereiro de 2019 (vítima de um Acidente Vascular Cerebral), a quem o filme é dedicado.

Além do longa-metragem “Cavalo”, a 23ª Mostra de Cinema de Tiradentes selecionou outros três filmes alagoanos de curtas-metragens: A Barca, de Nilton Resende (que será exibido na Mostra Foco), Ilhas de Calor, de Ulisses Arthur (Mostra Jovem) e Trincheira, de Paulo Silver (Mostrinha) (veja matéria do AGENDA A sobre a seleção dos três curtas aqui) .

Confira trailer do filme “Cavalo” abaixo.


 

  • Ideias
  • Agenda A ideias é um espaço plural discussão de temas comprometidos com a melhoria do ambiente de negócios e da qualidade de vida dos alagoanos.

  •  
  • Turismo
  • Vídeos

© AGENDA A 2013. All rights reserved