Vice-presidente da Natura explica como AL recebeu segundo maior centro de distribuição do grupo

Publicado em 31 de Março de 2022

Josie Romero, vice-presidente de operações e logística de Natura &Co América Latina: Alagoas tem localização estratégica (Foto Celso Tavares/ Divulgação)

 

por Rodrigo Cavalcante

Na manhã desta quinta-feira, foi inaugurado na cidade de Murici o segundo maior centro de distribuição no país (e da América Latina) da Natura &Co, gigante multinacional de cosméticos que, além da marca Natura, comanda as marcas Avon, The Body Shop e Aesop. 

Com 49 mil metros quadrados de área e previsão de contratação de 800 empregados diretamente, o novo centro será também o primeiro do grupo projetado para atender, simultaneamente, às marcas Avon e Natura. “A inauguração do Centro é mais um passo fundamental no processo de integração de nossos negócios na América Latina” diz Josie Peressinoto Romero, vice-presidente de operações e logística de Natura &Co América Latina.

Na entrevista abaixo concedida a AGENDA A, a vice-presidente fala sobre a tecnologia empregada no centro (que contará com automação até para customizar as embalagens) e porque Murici, cidade da família do governador Renan Filho, foi escolhida como sede do CD.

AGENDA A: Por que a Natura escolheu Alagoas como sede do segundo maior centro de distribuição do grupo na América Latina?   

Nós olhamos constantemente o nosso mapa de logística, levantamos os dados dos produtos que vendem mais em cada região, enfim, estamos sempre revisando, de três a quatro meses, esse mapa. De antemão, já tínhamos intenção de abrir um novo centro de distribuição no Nordeste, onde nossas vendas vêm crescendo mais, para oferecermos serviços melhores de entrega. E Alagoas é um Estado estrategicamente e fisicamente bem localizado para atender o Norte-Nordeste. Além disso, essa decisão leva em conta outros fatores, como as condições das vias e acessos para diminuir o tempo de entrega dos produtos e reduzir a emissão de carbono, os terrenos disponíveis, a possibilidade de capacitação de pessoal, os benefícios tributários, entre outros.

E o que mais pesou? Foi o benefício tributário…

Não foi só o benefício, até porque recebemos um benefício padrão que receberíamos também em outros Estados. O que mais pesou foi, como disse, a localização estratégica e outros fatores, incluindo o próprio esforço do governo para criar um ambiente no entorno favorável ao investimento.

Murici é a cidade da família do governador. Isso também não pesou na escolha? 

Ao iniciarmos as tratativas com o Governo de Alagoas, trouxemos ao Estado uma consultoria técnica para avaliar os possíveis locais e tínhamos, ao final, cerca de três destinos possíveis no Estado. Avaliamos cada um deles e deixamos claro ao governo que essa seria uma escolha técnica. Posso dizer que em nenhum momento o governo forçou a barra. E Murici, como avaliamos, está estrategicamente localizada próximo de rodovias importantes, além de cumprir outros critérios como a qualidade e fundação do terreno do centro, entre outros.

Vocês já possuem um centro de distribuição em Jaboatão dos Guararapes, no grande Recife. Qual será a principal diferença do centro de Murici para o de Pernambuco?

O centro de distribuição em Jaboatão dos Guararapes atende exclusivamente à marca Natura, enquanto o centro de Murici, por exemplo, já foi projetado para atender também os produtos da marca Avon, e futuramente, se for o caso, outras marcas do grupo, como a The Body Shop. Além disso, esse centro conta com diferenciais tecnológicos importantes que agilizarão os serviços de entrega não apenas para as consultoras Natura e representantes Avon, como para pedidos diretos via comércio eletrônico.

Poderia dar um exemplo dessa tecnologia?

Teremos aqui, por exemplo, uma máquina italiana capaz de produzir uma embalagem customizada de acordo com o tamanho de cada pedido. Se o produto a ser embalado for, por exemplo, um creme de barbear, a máquina automaticamente faz uma foto do produto e corta as dobras do papelão exatamente na proporção do creme, protegendo o produto de forma mais adequada e evitando também desperdício de material. Além disso, todas as embalagens já sairão do centro de distribuição com nome e código postal impressos, enfim, prontas para serem entregues aos clientes seguindo nosso tripé de oferecer um melhor nível de serviço, com menor custo e menos emissão de carbono.

Com toda essa tecnologia, como será a capacitação dos recursos humanos locais?

Desde as primeiras conversas com o governador e com o então secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, deixamos claro que precisaríamos oferecer suporte e treinamento para preparar adequadamente os colaboradores da empresa de logística responsável pelo centro, a TPC, nossa parceira, até porque mais de de 70% de colaboradores do Centro de Distribuição devem ser contratados em Murici e a maior parte dos outros em cidades no entorno.

Apesar da cerimônia de inauguração ter sido marcada para hoje, o centro começa a operar de fato a partir de quando?

Já recebemos as primeiras carretas de produtos da Natura e acredito que, em meados de Abril, já estaremos fazendo as primeiras entregas. Em seguida, receberemos também produtos da Avon e começaremos a operar normalmente. Nos momentos de pico, em datas festivas como Dia das Mães, Dia dos Namorados e Natal, o centro tem capacidade para separar cerca de 3.300 pedidos por hora. Enfim, é uma estrutura totalmente preparada para atender às nossas expectativas e um marco na integração de nossas marcas na América Latina.




  • Ideias
  • Agenda A ideias é um espaço plural discussão de temas comprometidos com a melhoria do ambiente de negócios e da qualidade de vida dos alagoanos.

  •  
  • Turismo
  • Vídeos

© AGENDA A 2013. All rights reserved